O que Cremos

  1. A plena e divina inspiração das Escrituras canônicas (os sessenta e seis livros), sua infalibilidade, sua única e final autoridade em assuntos de fé e prática.
  2. A existência de um só Deus que subsiste em três pessoas, com igual essência, poder e gloria: Pai, Filho e Espírito Santo.
  3. A criação do homem à imagem e semelhança de Deus, com um espírito imortal, a queda de toda a humanidade em Adão, sua consequente depravação e sua necessidade de regeneração.
  4. O propósito divino de oferecer redenção a toda humanidade.
  5. A divindade do Senhor Jesus Cristo, o unigênito Filho de Deus, único mediador entre Deus e os homens, a Sua eterna preexistência, a Sua morte expiatória e vicária, a Sua ressurreição corpórea, a ascensão e intercessão pelos salvos.
  6. A justificação somente pela graça mediante a fé em Cristo Jesus.
  7. A necessidade da proclamação do Evangelho a todos os povos.
  8. A atuação indispensável do Espírito Santo para a regeneração, para a santificação e para a capacitação dos crentes para o testemunho eficaz.
  9. Uma única igreja universal e apostólica, que é o Corpo de Cristo, da qual Ele é o cabeça.
  10. A visível e pessoal segunda vinda do Senhor Jesus Cristo, a ressurreição do corpo, a eterna bem-aventurança dos salvos e a punição eterna dos perdidos.

 

Posicionamentos Específicos da Instituição

  1. A infalibilidade da Bíblia implica a sua inerrância.
  2. Os dons carismáticos existem e são válidos para a Igreja atual.
  3. Estamos em luta contra espíritos malignos; portanto é imperativo levar a sério a guerra contra Satanás e seus anjos.
  4. A Bíblia ensina claramente que Deus é soberano e que o ser humano é responsável, portanto, precisamos manter estas duas verdades em equilíbrio.
  5. Deus quer que levemos a sua Palavra a sério, procurando entender lealmente o sentido que Ele quis transmitir. Para isto, é imprescindível respeitar as normas da linguagem, ao interpretarmos o Texto Sagrado, sob inteira dependência do Espírito Santo.
  6. O Senhor Jesus exige compromisso total de nossa parte; esse compromisso deve se manifestar em todas as áreas da nossa vida e do nosso ministério.
  7. Ao lidarmos com a Palavra de Deus, é necessário distinguir entre interpretação e aplicação: a interpretação de um texto deve ser exatamente o sentido pretendido pelo autor, já as aplicações podem ser várias, conforme o Espírito Santo vê a nossa necessidade de momento.
  8. A Bíblia distingue claramente entre o povo de Israel e a Igreja.
  9. Após Sua segunda vinda, o Senhor Jesus Cristo reinará sobre a terra.